Conectado por

DJ90

Geral

Relembre a vida e obra de Flavio Migliaccio, que morreu nesta segunda aos 85 anos

Publicado por

em

O ator Flavio Migliaccio foi encontrado morto em seu sítio na cidade de Rio Bonito, na região metropolitana do Rio de Janeiro. A Polícia Civil informou que foi instaurado inquérito para apurar as circunstâncias da morte.

 

Migliaccio tinha 85 anos e era paulista. Nasceu em uma numerosa familia de dezesseis irmãos, de descendência italiana no bairro do Brás, em São Paulo. Na década de 50, entrou para o teatro de Arena, onde atuou em várias peças ao lado da irmã, a também atriz Dirce Migliaccio, com a direção de grandes nomes como Augusto Boal, Gianfrancesco Guarnieri e Oduvaldo Vianna Filho.

 

Em 1972, estreou na TV Globo, onde deu vida a um dos seus personagens mais famosos, o Xerife, do seriado “Shazan, Xerife e Cia”, ao lado de Paulo José. Em 1998, a dupla fez uma participação na novela “Era uma vez”, do mesmo autor Walter Negrão, em uma homenagem aos 25 anos dos dois personagens.

 

Sempre com a veia humorística em destaque, outro personagem marcante da sua carreira foi criado por ele próprio, o tio Maneco, com o qual estrelou uma série na antiga TVE e tambem o longa “As Aventuras de Tio Maneco”.

 

Participou de mais de 30 novelas e minisséries na TV Globo, sempre com personagens cômicos, como o pão-duro Moreiras, em “Rainha da Sucata”, o feirante Vitinho, em “A Próxima Vítima”,  Fortunato, em “Passione”, e o turco Chalita, da série “Tapas & Beijos”. Em seu último trabalho na televisão, interpretou o imigrante palestino Mamede da novela Órfãos da Terra, no ano passado.

 

Em entrevista ao programa Arte Club, da Rádio MEC do Rio de Janeiro, em 2018, o ator comemorava os 60 anos de carreira com a peça autobiográfica “Confissões de um Senhor de Idade”. Migiliaccio contou que o humor, que marcou tantos dos seus personagens, era algo natural e vinha da sua origem italiana. Na entrevista, o ator também deu conselhos a quem pretende ingressar na carreira de ator.

 

“Que ele nunca buscasse ser celebridade, pois o ator é intérprete do ser humano; ele tem que contar a vida do ser humano”. 

 

Vários artistas e colegas de trabalho lamentaram sua despedida dos palcos e da vida. A atriz Vera Holtz escreveu em uma postagem no Twitter que era um dia triste para a cultura nacional, com a perda do genial ator. O também ator Bruno Gagliasso escreveu que seu amigo foi descansar desse mundo estranho.

 

Flávio Migliaccio teria deixado uma carta escrita para a familia.

Fonte: Ag. Brasil

Publicidade