Conectado por

Nacional

Travesti é enterrada como homem por família em Sergipe: ‘violência, desrespeito’

Lana, uma travesti de Aracaju, em Sergipe, foi enterrada pela família como se fosse um homem, de terno e gravata. Não há mais detalhes sobre quem ela foi. A vereadora do município Linda Brasil (Psol), que é uma mulher trans, denunciou o ocorrido nas redes sociais. De acordo com o relatado por ela, a mulher teria sido sepultada nessa terça-feira (12). 

“Fiquei indignada ao saber desse caso que aconteceu hoje em Aracaju. Basta de romantização de relações familiares que desrespeitam e negligenciam nossas vidas, identidades e existências. É por conta de casos assim que existem tantos crimes contra crianças, adolescentes, mulheres e pessoas LGBTQIA+ de maneira geral. Essa não é somente uma violência e desrespeito contra a própria travesti, mas sim contra todas as pessoas trans. Transfobia é crime!”, escreveu a parlamentar. 

A ativista trans Jéssica Taylor, dirigente da Transunides, afirmou, conforme publicou “O Globo”, que a travestia havia sido abandonada pela família e foi desrespeitada. 

“Colocaram até um bigode nela, e a enterraram de terno, indo contra a sua identidade de gênero. A família não a aceitava. Eu achei uma violência. Só quem é trans sabe o que já passou até conseguir assumir a identidade. Nem na grande despedida, que é a morte, ela foi respeitada. Lana morreu de tristeza”, lamentou. A Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) classificou o ocorrido como “inaceitável”.

 

Fonte: O tempo

Mais notícias