Conectado por
Rondônia, sábado, 13 de julho de 2024.




Nacional

Presidente uruguaio acusa Argentina e Brasil de travar TLC com a China


Compartilhe:

Publicado por

em

O presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, acusou nesta quarta-feira, 6,  a Argentina e o Brasil de travarem um Tratado de Livre-Comércio (TLC) com a China, um dos objetivos de seu governo.

Em uma entrevista à rádio local Universal, o presidente não descartou a possibilidade de fechar um TLC com a China a menos de um ano do fim de seu mandato, e destacou que isso poderia ser feito sem o apoio do Mercosul, o bloco comercial que o Uruguai integra junto com Brasil, Argentina, Paraguai e, mais recentemente, Bolívia.

“Obviamente não conseguimos fazer, até agora. Não é a única maneira. Agora, o que realmente pesou foi a diplomacia brasileira e argentina em relação à China de não avançar. Essa é a realidade”, disse.

“Quando fui à China, disse ao presidente chinês [Xi Jinping]: ‘Estamos prontos para avançar amanhã, depois de amanhã’. Não conseguimos e os vizinhos se encarregaram de manifestar sua recusa”, acrescentou Lacalle Pou.

Em novembro, durante uma visita de Estado de Lacalle Pou a Pequim, o Uruguai elevou seus laços diplomáticos com a China a uma parceria comercial.

Em 13 de julho de 2022, o presidente uruguaio anunciou o fim dos estudos de viabilidade para um TLC com Pequim, dando início a um diálogo bilateral formal.

Lacalle Pou havia anunciado em setembro de 2021 o início das conversas com o gigante asiático, apesar da posição predominante no Mercosul de que é necessário o consentimento de todos os membros para negociar com terceiros. Isso causou atritos no bloco regional fundado em 1991.

Na última cúpula do Mercosul em dezembro, no Rio de Janeiro, Lacalle Pou desafiou os parceiros a serem sinceros em suas posições.

“Que nos digam: ‘Não há a mínima vontade de avançar em um TLC com a China’. Então mostramos todas as cartas, sabemos com o que estamos jogando e sabemos a que nos ater”, enfatizou.

O Brasil reafirmou seus laços com a China quando Luiz Inácio Lula da Silva iniciou seu terceiro mandato em 2023, depois de governar de 2003 a 2011.

O ex-presidente argentino Alberto Fernández (2019-2023) admitiu ter ligado para a China para frear a negociação do TLC. Seu sucessor, Javier Milei, criticou os laços reforçados por Fernández, mas, desde que tomou posse em dezembro, mantém boas relações com Pequim.

O Paraguai, que ocupa a presidência ‘pro tempore’ do Mercosul neste semestre, é um dos poucos países que mantém relações diplomáticas com Taiwan. A China é o maior parceiro comercial do Uruguai.

Fonte: Exame

Publicidade

Mais notícias

Compartilhe: