Conectado por



Nacional

Mais de 50 mil pessoas fugiram de Porto Príncipe em três semanas devido à onda de violência


Compartilhe:

Publicado por

em

Mais de 50 mil pessoas saíram da área metropolitana de Porto Príncipe em um período de três semanas buscando segurança diante da violência das gangues que atinge a capital do Haiti. As informações foram anunciadas nesta terça-feira pela Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Entre 8 e 27 de março, 53.125 pessoas deixaram a cidade, se somando aos 116 mil que haviam fugido nos meses anteriores, indicou a OIM em um comunicado à imprensa. Grande parte dos que fugiram de Porto Príncipe em março foram para o sul, segundo a organização, e a maioria relatou que estava indo “devido à violência e à insegurança”.

— É importante destacar que (as outras) províncias não possuem infraestrutura adequada e as comunidades que recebem esses migrantes em massa da capital não têm recursos suficientes para lidar com esses fluxos — acrescenta o comunicado.

Desde o final de fevereiro, as gangues do Haiti se uniram para atacar violentamente delegacias, prisões, o aeroporto e o porto da cidade em uma disputa contra o controverso primeiro-ministro, Ariel Henry.

A situação desencadeou uma grave crise humanitária, com escassez de alimentos e um colapso quase total das infraestruturas de saúde no país mais pobre das Américas. Apenas no primeiro trimestre de 2024, até 22 de março, 1.554 pessoas morreram e 826 ficaram feridas devido à violência das gangues, conforme relatado pela ONU na semana passada.

Henry, que chegou ao poder sem passar por eleições populares, após o assassinato do presidente Jovenel Moïse, em 2021, anunciou em 11 de março que renunciaria para ceder o poder a um conselho de transição.

No entanto, a designação do conselho, que terá nove pessoas, tem sido adiada por discordâncias internas e supostas dúvidas legais do governo anterior.

Fonte: Exame

Publicidade

Mais notícias

Compartilhe: