Conectado por

Geral

Internações em São Paulo acendem alerta para festas de fim do ano

Desde o dia 10 de dezembro, com a queda do sistema de dados do SUS, não há atualização de casos e mortes por covid-19. No estado de São Paulo, os números de internações acendem um alerta. A taxa de ocupação nas UTIs na capital paulista subiu de 30% para 33% em uma semana. E as taxas de ocupação nas enfermarias passou de 35% para 42%.

A média móvel de internações em São Paulo está em 378; há uma semana a média móvel era de 283 internações.

De acordo com análise do Observatório Covid-19, não é possível afirmar qual o agente infeccioso responsável pelo aumento de hospitalizações. Três hipóteses foram traçadas: o contágio pela variante Ômicron; uma epidemia de Influenza A a exemplo do que ocorreu no Rio de Janeiro; ou uma combinação das duas ocorrências.

O engenheiro Rodrigo Pereira pegou influenza a poucos dias e está se recuperando. Ele conta quais foram os principais sintomas.

Os sintomas de covid e gripe causada pela influenza são bem semelhantes, a diferenciação de uma doença para outra geralmente ocorre através dos exames laboratoriais.

As recomendações dos infectologistas para evitar a disseminação tanto da covid-19 como do vírus influenza nas festas de fim de ano são as mesmas. Primeiramente, que a confraternização seja entre pessoas vacinadas. 

Outra orientação é que a festa seja em local aberto ou com ventilação, como explica o integrante do Observatório Covid-19 e pesquisador Vitor Mori.

Cabe lembrar que em todo o país a dose de reforço da vacina da covid já está antecipada para 4 meses. Com relação à vacina da gripe, ela está sendo desenvolvida para abarcar a nova variante. O período das campanhas de imunização costumam ocorrer todos os anos entre abril e setembro.

Saúde São Paulo 21/12/2021 – 15:05 Nadia Faggiani/Edgard Matsuki Nelson Lin – Repórter da Agência Brasil gripe covid-19 festas de fim de ano terça-feira, 21 Dezembro, 2021 – 15:05 3:00

Fonte: Ag. Brasil

Mais notícias