Conectado por

Nacional

Governo desativa internet no Cazaquistão e hash rate do bitcoin despenca

Uma crise política sem precedentes no Cazaquistão teve impacto direto e imediato no bitcoin nesta quarta-feira, 5. Alvo de intensos protestos causados por alta intensa no preço dos combustíveis, o gabinete presidencial do país renunciou, mas não sem antes fazer com que a companhia de telecomunicações estatais Kazakhtelecom desativasse a conexão de internet no país.

Como o Cazaquistão é atualmente o segundo país com maior participação na hash rate da rede Bitcoin, o pode computacional da rede imediatamente despencou mais de 13% em relação à máxima do dia. Segundo dados do YCharts, a hash rate do principal blockchain do mundo caiu de cerca de 205.000 petahashes por segundo (PH/s) para 177.330 PH/s.

A hash rate mede o poder computacional da rede, ou seja, o quanto de esforço computacional está sendo utilizado para validar e realizar transações. Quanto maior a hash rate, mais segura e eficiente está a rede.

Desde que a China proibiu a mineração de bitcoin – principal atividade para fornecer poder computacional ao blockchain – o Cazaquistão se tornou um dos principais destinos para empresas do setor que buscavam novas sedes. Até a queda desta quarta, o país respondia porc erca de 18% do poder computacional da rede Bitcoin, atrás apenas dos EUA.

Há alguns dias, o governo do Cazaquistão removeu os limites de preço para combustíveis automotivos, alegando buscar alinhamento às condições de preço do petróleo no mercado, que subiu consideravelmente. Com isso, o preço dos combustíveis praticamente dobrou do dia para a noite no país, dando início a uma série de protestos da população.

Até o momento da publicação, a internet ainda não havia sido restabelecida no país. Caso a situação permaneça, os danos podem ser bastante sérios para diversos setores da economia, inclusive para as empresas de mineração de bitcoin. Segundo a associação de empresas do setor no país, a perspectiva era de geração de 1,5 bilhão de dólares em receitas com a mineração legal de bitcoin (e outros 1,5 bilhão com a mineração ilegal) pelos próximos cinco anos.

As empresas de mineração de bitcoin foram atraídas para o Cazaquistão devido ao baixo custo da energia no país. Como referência, segundo o Global Petrol Prices, a eletricidade custa US$ 0,055 por quilowatt-hora (kWh) para instalações comerciais no Cazaquistão; nos EUA, o valor é mais que o dobro, de US$ 0,12 por kWh.

Apesar da queda considerável, a hashrate do bitcoin segue em um patamar bastante elevado, que mantém a rede completamente saudável. Depois de atingir o maior valor de sua história no começo desta semana, a taxa agora voltou ao patamar dos últimos dias de 2021.

A queda no preço do bitcoin também registrada nesta quarta-feira, apesar de poder ter relação com temores quanto à manuntenção da saúde da rede no futuro, está muito mais ligada às decisões do governo de Joe Biden nos EUA, maior mercado cripto do mundo. Nesta tarde, o Federal Reserve (Fed), que é o banco central do país, reafirmou o seu plano para aumentar as taxas de juros no país, afetando não apenas o mercado cripto, mas também o mercado de ações norte-americano.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Fonte: Exame

Mais notícias