Conectado por

Nacional

Após anúncio do Fed, preço do bitcoin despenca e vai abaixo de US$ 43.000

O bitcoin e o mercado de criptoativos encerraram a tarde desta quarta-feira, 5, com uma grande queda, fazendo com que a principal criptomoeda do mundo voltasse a ser negociada abaixo de US$ 43 mil, impulsionando ainda mais os prejuízos dentro do mercado, que perdeu R$ 690 bilhões de capitalização em poucas horas, graças ao resultado de uma reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) nos EUA.

Em uma postura considera como hawkish, que diz respeito à uma política monetária austera, com taxas de juros mais altas e, com um maior controle da demanda e inflação, os participantes discutiram sobre os possíveis ajustes que deveriam ser feitos na política econômica norte-americana, ressaltando a necessidade da elevação da taxa de juros no país antes do esperado e, a importância da redução da carteira de ativos no balanço do Banco Central norte-americano.

Com esse posicionamento, os integrantes do FOMC deixaram claro quais devem ser os próximos passos do FED (Banco Central dos EUA) nos próximos meses, em uma política que irá tornar investimentos em renda fixa mais atrativos para os investidores, o que pode gerar uma mudança na alocação de grandes carteiras em relação à sua exposição a ativos de risco, como ações e criptomoedas.

E assim como ocorreu no mercado de ações, logo após o resultado da reunião, o mercado de criptoativos derreteu e, o bitcoin, que estava sendo negociado entre US$ 46 mil e US$ 50 mil nas últimas 4 semanas, despencou mais de 7% e agora é negociado abaixo de US$ 43.600, ressaltando a aversão à risco do mercado financeiro em um cenário com taxas de juros mais altas nos EUA.

Também nesta quarta-feira, 5, outra notícia negativa afetou o sentimento do mercado em relação ao bitcoin. após protestos violentos, o governo do cazaquistão interrompeu o serviço de internet no país pouco antes de renunciar, deixando o país sem conexão e derrubando a hash rate do maior blockchain do mundo, já que o cazaquistão é o segundo país com maior poder computacional dedicado à rede do bitcoin.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Fonte: Exame

Mais notícias