Conectado por

Nacional

Embaixada pede desculpas à família de Dom Phillips por erro sobre corpos

O embaixador brasileiro no Reino Unido, Fred Arruda, enviou uma mensagem à família do jornalista Dom Phillips pedindo desculpas pelo erro ao afirmar, nesta segunda-feira (13), que os corpos do repórter e do indigenista Bruno Araújo Pereira, desaparecidos desde 5 de junho, teriam sido encontrados amarrados a uma árvore na Amazônia.  

A retratação foi noticiada pelo jornal The Guardian, periódico ao qual Phillips presta serviço. Logo após a notícia de que os corpos teriam sido encontrados, a família do jornalista comunicou o caso à imprensa. Mas em seguida a Polícia Federal emitiu nota negando a localização.

“Lamentamos profundamente que a embaixada tenha passado à família ontem informações que não se mostraram corretas”, disse Arruda. Conforme o diplomata, uma equipe criada na embaixada de Londres para responder aos desaparecimentos foi “enganada” por informações recebidas de “oficiais investigadores”.

“Pensando bem, houve precipitação por parte da equipa multi-agências, pelo que peço desculpa de todo o coração”, acrescentou Arruda, O embaixador ainda afirmou à família que a operação de busca vai continuar “sem poupar esforços”. “Nossos pensamentos permanecem com Dom, Bruno, vocês e os outros membros de ambas as famílias”, complementou o diplomata brasileiro. 

O caso 

O jornalista Dom Phillips, 57, e o indigenista Bruno Pereira, 41, estão desaparecidos há mais de uma semana. Eles foram vistos pela última vez na manhã de domingo (5), na terra indígena Vale do Javari, no Amazonas. O caso mobilizou a sociedade civil e ganhou repercussão internacional.

As autoridades à frente das investigações ouviram seis pessoas e apuram a possível relação com o caso de um pescador preso na terça-feira (7) por porte de munição ilegal. As Forças Armadas, as forças de segurança do Amazonas e a Polícia Federal seguem as buscas pelos desaparecidos. 

No último domingo (12), foram encontrados pertences pessoais da dupla, como documentos, mochilas e roupas. A Polícia Federal (PF) também afirma ter encontrado “material biológico” na região que foi encaminhado para perícia. 

Fonte: O tempo

Mais notícias