Conectado por

Nacional

Carteira de dividendos do BTG Pactual (BPAC11) de junho inclui Cyrela (CYRE3) e Sabesp (SBSP3)

O BTG Pactual (BPAC11) mudou nesta quarta-feira, 1º, a carteira recomendada de dividendos de junho.

A carteira de junho de ações mais “dividendeiras” indicadas pelos analistas do BTG Pactual tem a Cyrela (CYRE3) e Sabesp (SBSP3) como novas entrantes.

Os analistas do maior banco de investimentos da América Latina reformularam o portfólio de dividendos com dez ativos, ao invés de cinco, e agora terá periodicidade mensal.

Segundo os analistas do BTG Pactual, ao aumentar o número de ações, os nossos clientes obtêm um portfólio mais diversificado e abrangente.

Entram Cyrela (CYRE3) e Sabesp (SBSP3) na carteira de dividendos do BTG Pactual (BPAC11) de junho

Uma das razões que levaram o BTG Pactual a inserir a Sabesp foi que, mesmo sem considerar qualquer cenário de privatização, o nome da empresa está sendo negociado com uma Taxa Interna de Retorno (TIR) real barata de 10% e a 0,67x EV/RAB.

Além disso, o cenário das eleições estaduais de São Paulo mostra gradualmente mais candidatos pró-privatização ganhando força nas pesquisas.

Com isso, segundo os analistas do banco de investimentos, uma Sabesp privatizada assumindo um EV/RAB conservador de 1,3x —, poderia valer R$ 95/ação. Mais do que o dobro do valor atual, que está em R$ 45,35.

No caso de Cyrela, o ativo encontra-se sendo negociado a 0,61x P/NAV e 5,6x P/L para 2022, o que é considerado como extremamente descontado pelos analistas do BTG Pactual.

Além disso, há uma expectativa de gerar 12% de dividend yield neste ano.

Além disso, a relação de risco/retorno da Cyrela também faz sentido para os analistas do BTG Pactual, devido ao fato de seu preço de tela estar apenas 9,25% acima do pior momento da pandemia, em maio de 2020.

“Vemos a Cyrela muito bem posicionada no setor e com balanço bastante resiliente, o que também contribui com essa escolha para nossa carteira. Alupar, Bradesco, Itaú Unibanco, BrasilAgro, Energisa, Telefônica e ISA CTEEP mantiveram seus lugares”, explicaram os analistas no relatório.

Valuation da Bolsa de Valores brasileira é muito atrativo

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo se manteve como um dos mercados de ações com melhor desempenho no acumulado do ano: alta de 3,2% em reais e 7,8% em dólares.,

Mesmo com esse desempenho relativo bom em 2022, segundo o BTG Pactual, o índice ainda está sendo negociado com um valuation muito atrativo.

Para os analistas do banco, o aperto monetário nos Estados Unidos, com a alta de juros pelo Federal Reserve (Fed) não ajudará os mercados emergentes de ações em geral, e as ações brasileiras em particular.

Enquanto isso, o prêmio para manter ações, medido como o inverso do P/L menos as taxas de juro reais de dez anos, é de 4,8%, um desvio padrão acima da média histórica.

Entretanto, os analistas do BTG Pactual continuam acreditando que o Brasil está relativamente bem posicionado no atual ambiente geopolítico desafiador.

Fonte: Exame

Mais notícias