Conectado por

DJ90

Nacional

Assalto em Criciúma: polícia prende mulher em SP e acha carros blindados

Publicado por

em

A Polícia Civil de São Paulo informou a prisão, na tarde desta quarta-feira (2), de uma mulher de 31 anos que teria participado do assalto a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma (SC) na madrugada de terça-feira (1), em ação cinematográfica que levou pânico aos moradores.

Ela foi detida após uma denúncia e estava com malotes de dinheiro do Banco do Brasil. Além disso, foram encontradas munições de armas e rádios. Segundo o G1, a PC investiga se ela atuou na logística do crime, dando apoio operacional à quadrilha. O marido dela é suspeito de vários assaltos a banco no país.

A Polícia de Santa Catarina acredita que a ação seja fruto de bandidos de outro Estado, sobretudo de São Paulo. “Não temos esse perfil de criminosos em Santa Catarina. Pode ter algum integrante que seja efetivamente do estado, mas sabemos que é uma ação de fora”, disse o delegado Anselmo Cruz.

Veículos

Na terça-feira, a polícia de Santa Catarina informou a localização de dez carros usados pelos bandidos. Os veículos estavam em um milharal na cidade de Nova Veneza, vizinha à Criciúma, e eram de marcas como Audi, Land Rover, BMW e Mitsubishi.

Em entrevista coletiva, o Instituto Geral de Perícias informou que nove deles eram blindados e que os veículos foram pintados de preto para camuflar. A polícia inclusive localizou um galpão na cidade de Içara, que teria sido usado pelos criminosos para pintarem os veículos. Alguns tinham registro de roubo em São Paulo.

O crime

O assalto teve ação de pelo menos 30 criminosos, dez automóveis e armamento de calibre exclusivo das Forças Armadas e é considerado o maior do tipo na história de santa Catarina. Os criminosos atacaram o 9º Batalhão da Polícia Militar com tiros nas janelas, bloqueio na saída com um caminhão em chamas e explosão acionada por celular. “Uma ação sem precedentes”, disse o tenente-coronel Cristian Dimitri Andrade, comandante do batalhão. A ação durou cerca de duas horas.

Duas pessoas ficaram feridas, incluindo um militar que está em estado grave.

O Banco do Brasil informou que não se manifestará sobre os valores roubados. 

A Polícia Militar prendeu quatro pessoas que recolheram R$ 810 mil espalhados pelo chão após a explosão de cofres.

Fonte: O tempo

Publicidade