Conectado por

DJ90

Geral

Argentina suspende participação em negociações do Mercosul

Publicado por

em

Diante da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus e previsões da queda do Produto Interno Bruto (PIB), o governo da Argentina anunciou a suspensão de novas negociações de acordos no bloco econômico Mercosul. Segundo o Ministério de Relações Exteriores argentino, a decisão ocorreu após uma reunião em videoconferência entre os coordenadores nacionais do bloco.

 

A nota oficial do ministério do país vizinho argumenta que “em um mundo em que as organizações internacionais prevêem a queda do PIB  – que é  a soma de todos os bens e serviços finais produzidos por um país –  nas nações mais desenvolvidas”, pode haver uma diminuição repentina no comércio global de até 32%, e um impacto imprevisível na sociedade.

 

O governo da Argentina informou, ainda, que vem buscando, internamente, evitar os efeitos da pandemia, “protegendo as empresas, o emprego e a situação das famílias mais humildes”, o que acaba, segundo a nota, contrastando com as posições de alguns parceiros do bloco, que propõem acelerar “negociações de acordos de livre comércio com Coreia do Sul, Cingapura, Líbano, Canadá e Índia, entre outros”.

 

O governo argentino chama o momento de “incerteza internacional” e, por isso, argumenta que a situação econômica do país aconselha parar o andamento dessas negociações.

 

Apesar disso, o governo argentino garante que mantém o andamento dos acordos do Mercosul com a União Europeia e a Associação Europeia de Livre Comércio. Por fim, o país vizinho informa que a decisão não se trata de “um capricho”, mas de uma forma de fortalecer as relações com as nações do bloco regional.

 

A informação chegou a ser anunciada, também, pelo governo do Paraguai, que atualmente preside o bloco Mercosul. Mas, de acordo com  a nota do Ministério de Relações Exteriores paraguaio, a Argentina indicou que a saída das negociações não vai ser obstáculo para que os demais países membros prossigam com os acordos. Fazem parte do Mercosul, Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Fonte: Ag. Brasil