Conectado por

DJ90

Nacional

Tarcísio Freitas contrai Covid e é o 14º ministro de Bolsonaro a ser infectado

Publicado por

em

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, contraiu Covid-19, conforme anunciou na noite desta sexta-feira (27) o presidente Jair Bolsonaro.

Tarcísio é o 14º ministro do governo federal a ser infectado pelo vírus.

“O ministro Tarcísio acabou de dar Covid. Falei com ele agora há pouco… quer dizer, fui informado, mas não consegui falar com ele. Já está tomando hidroxicloroquina”, disse Bolsonaro a um grupo de apoiadores, ao chegar no Palácio da Alvorada.

As declarações do presidente foram transmitidas por um site bolsonarista.

Ao mencionar que Tarcísio está se tratando com hidroxicloroquina, o presidente voltou a defender um medicamento sem eficácia comprovada para a Covid-19 e associado a efeitos colaterais.

Desde o início da pandemia Bolsonaro tem defendido a substância, apesar de alertas de especialistas de que não há dados que comprovem sua eficácia.

O Ministério da Infraestrutura confirmou a informação dada por Bolsonaro.

“O ministro Tarcísio Gomes de Freitas testou positivo para Sars-CoV2, informação confirmada na noite desta sexta-feira. O ministro está assintomático e deve seguir com suas funções em teletrabalho”, disse a pasta.

Diversos integrantes da equipe de Bolsonaro foram contaminados pela Covid-19.

Estão na lista Augusto Heleno (Segurança Institucional); Bento Albuquerque (Minas e Energia); Onyx Lorenzoni (Cidadania); Milton Ribeiro (Educação); Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia); Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União); Braga Neto (Casa Civil); Jorge Oliveira (Secretaria-Geral); Marcelo Álvaro Antônio (Turismo); Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo); Fábio Faria (Comunicações); Eduardo Pazuello (Saúde) e André Mendonça (Justiça).

O próprio Bolsonaro também contraiu a Covid-19 em julho e se recuperou sem apresentar maiores sintomas.

Desde o início da crise mundial do coronavírus, Bolsonaro tem dado declarações nas quais busca minimizar os impactos da pandemia e, ao mesmo, tratar como exageradas algumas medidas tomadas no exterior e por governadores de estado no país.

Fonte: O tempo

Publicidade