Conectado por

DJ90

Nacional

No dia do Meio Ambiente, conheça quatro iniciativas que deram certo

Publicado por

em

Por Bússola

ESG é palavra de ordem no mundo dos investimentos e negócios e é um assunto cada vez mais demandado pelo universo corporativo. Um dos muitos exemplos disso é o resultado da Global Institutional Investor 2021, da MSCI, pesquisa realizada com 200 instituições proprietárias de ativos. De acordo com os entrevistados, a pandemia global destacou ainda mais a importância dos assuntos relacionados ao ESG e tem acelerado a integração do assunto pelos investidores institucionais.

Ainda que o ESG seja um conceito que vai muito além da sustentabilidade ambiental, no dia em que é celebrado o Dia Internacional do Meio Ambiente, a Bússola reuniu algumas iniciativas sócio-ambientalmente responsáveis praticadas por diferentes setores da economia – da educação ao varejo.

É certo que todos os setores da sociedade devem ter responsabilidade no que diz respeito à proteção do meio ambiente, mas é importante que a iniciativa privada assuma o papel de liderança ao fornecer soluções para problemas ambientais, através de reflexões e ações voltadas ao meio ambiente.

Destinação e tratamento de resíduos

Por meio de parceria com a eureciclo, a Petlove, maior plataforma para o universo pet do Brasil, garante a destinação responsável dos resíduos sólidos comercializados, por meio de logística reversa, destinando recursos para operações das cooperativas de reciclagem. A expectativa da companhia é compensar mais de 1,8 toneladas de materiais em 2021.

O processo de compensação ambiental realizado pela eureciclo é feito por meio do rastreamento dos tipos de embalagens utilizadas nos produtos da Petlove, retirando do meio ambiente a quantidade equivalente do mesmo material do resíduo gerado.

A Natural One, marca líder no mercado de sucos 100% naturais no Brasil, também possui parceria com a startup. Em três anos, a Natural One destinou corretamente mais de 1.700 toneladas de resíduos para a reciclagem.

A Multiplan, empresa administradora de shoppings centers, desenvolveu Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) em cinco de seus empreendimentos. O mais recente deles, concluído em 2020, está localizado no ParkShopping, no Distrito Federal. A estação tem tecnologia de membrana e é totalmente automatizada, com monitoramento 24h por dia e aumentou a eficiência de produção de água de reúso durante o primeiro trimestre, com capacidade de gerar economia de 34% a 50% no custo de água dos lojistas

Energia limpa

A Multiplan também possui iniciativas de produção e consumo de energia limpa, com objetivo de reduzir o impacto ambiental e promover a redução de custos para a companhia e os lojistas de seus shoppings. A primeira iniciativa da companhia em relação à produção de energia solar ocorreu em 2011, com a instalação de painéis fotovoltaicos no ParkShoppingSãoCaetano, em São Paulo.

A Multiplan também é a idealizadora e criadora da maior planta fotovoltaica já construída sobre um shopping na América do Sul, no ParkShopping Canoas, no Rio Grande do Sul. Inaugurou em 2019 o primeiro conjunto de usinas fotovoltaicas direcionadas a um shopping center, o VillageMall, no Rio de Janeiro, com 25.440 módulos fotovoltaicos, o equivalente ao tamanho de 24 campos de futebol. No último ano, inaugurou a nova usina fotovoltaica que abastece 100% da energia da sede, localizada no Rio de Janeiro. A economia gerada com a nova usina da sede já chega a 50% no custo de energia.

Suporte socioambiental

A UNIG – Universidade Iguaçu, por sua vez, tem um projeto em parceria com um grupo de catadores do lixão de Gramacho, que tirava seu sustento dos resíduos de construção civil que lá eram depositados. Com o fechamento do lixão em 2012, esse grupo se organizou e formou a Associação Carioca de Catadores e Ex-Catadores (ACEX). No entanto, eles precisavam de apoio econômico e social para dar continuidade ao trabalho.

Foi assim que a UNIG, por meio de um projeto de integração entre seus alunos dos cursos de engenharia civil, engenharia mecânica e engenharia de produção e a sociedade, passou a fazer parte desse projeto, com o objetivo de apresentar soluções inovadoras e sustentáveis para melhorar o reaproveitamento dos resíduos da construção civil.

Foi possível viabilizar a capacitação técnica dos colaboradores, o que permitiu a mitigação dos impactos gerados pelo processo de triagem dos resíduos, bem como a revitalização do entorno da área, com demarcação da faixa marginal de proteção do canal extravasor, plantio de árvores nativas, limpeza e aumento da calha do canal.

Essas ações impediram que as águas pluviais, em dias chuvosos, não adentrassem nas casas dos moradores ao redor. Além disso, o trabalho de triagem e a comercialização possibilitaram ao grupo o conhecimento do potencial e das características destes resíduos, que poderão ser usados nas melhorias das casas das comunidades no entorno, permitindo que a população tenha mais conforto e qualidade de vida.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Fonte: Exame

Todos os direitos reservados para @noticiasderondonia.com.br - noticias@noticiasderondonia.com.br