Conectado por

Geral

MPT lança programa para prevenir relações exploratórias de trabalho

Prevenir relações de trabalho exploratórias. Esse é o objetivo do “Projeto Ação Integrada: Resgatando a Cidadania”, desenvolvido pelo Ministério Público do Trabalho, no Rio de Janeiro.

Só nos últimos cinco anos, mais de 10 mil processos referentes ao tema foram julgados, e o número não para de aumentar, entre 2020 e 2021, o aumento de decisões em casos que envolvem trabalho análogo à escravidão cresceu 41%.

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Emmanoel Pereira, veio até a capital fluminense conhecer a iniciativa. Durante a visita, ele descreveu o que caracteriza a escravidão nos dias de hoje: Escravidã moderna é econômica. É aquela que seduz o trabalhador humilde, carente e vulnerável a trabalhar em rincões no interior do Brasil ou mesmo nas capitais.”

Em 1995, o Brasil reconheceu diante da Organização das Nações Unidas a persistência do trabalho escravo em seu território. Desde então, até junho de 2022, mais de 57 mil pessoas foram resgatadas. Além disso, no ano passado, o Ministério Público do Trabalho recebeu 1.415 denúncias de trabalho escravo, aliciamento e tráfico de trabalhadores, número 70% maior que em 2020.

Direitos Humanos Brasília 26/07/2022 – 22:13 Raquel Mariano / Beatriz Arcoverde Tatiana Alves – Repórter da Rádio Nacional trabalho análogo a escravidão terça-feira, 26 Julho, 2022 – 22:13 1:47

Fonte: Ag. Brasil

Mais notícias