Conectado por

Nacional

Localiza mais que dobra lucro no 3º trimestre

A Localiza divulgou nesta terça-feira lucro líquido de 671,4 milhões de reais para o terceiro trimestre, mais que o dobro de um ano antes, com impulso da demanda forte e ganho fiscal devido a mudança na depreciação de veículos para aluguel.

A maior companhia de aluguel de veículos do Brasil teve um resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 1,19 bilhão de reais de julho a setembro, salto de 83% sobre um ano antes.

 Aproveite a nova temporada de balanços para investir! Baixe o e-book gratuito “Indicadores de valor: como ler o balanço de uma empresa”

Analistas, em média, esperavam que a Localiza apresentasse lucro líquido de 448 milhões de reais e Ebitda de 883 milhões, segundo dados da Refinitiv.

Apesar da diária média de aluguel de veículos ter disparado quase 38% ano a ano, para 92 reais, a taxa de utilização dos veículos da frota da companhia subiu de 75,9% para 81,3%.

O desempenho foi similar ao da Unidas, com quem a Localiza tenta uma fusão que está sendo analisada pelo Cade. Na semana passada, a Unidas, segunda maior do setor no país, reportou um aumento de 29% na tarifa média de aluguel de veículos, para 80 reais, e lucro mais que duas vezes maiores que no terceiro trimestre do ano passado.

“Mesmo num contexto de aumento de preços do aluguel, que se faz necessário especialmente devido ao aumento do valor dos carros novos e dos custos de manutenção, percebemos gradual e consistente aumento dos volumes – já superiores aos do primeiro trimestre deste ano, com taxa de utilização da frota de volta a patamares históricos”, afirmou a Localiza.

A Localiza concluiu no período laudo técnico de instituição qualificada pela Receita Federal que reduziu a vida útil de alguns veículos da divisão de aluguel, de até 60 para 24 meses. Com isso, houve um reconhecimento de créditos tributários, “com impacto no Ebitda do trimestre de 320,3 milhões de reais”.

A Localiza afirmou que aplicação da vida útil revisada para os demais carros da frota dependerá de novos laudos.

A companhia terminou setembro com uma frota de 273,2 mil carros, queda de cerca de 2% sobre o final de 2020. A venda de veículos pela companhia despencou 52% no trimestre sobre um ano antes, para 21.620 unidades, enquanto o preço médio de venda subiu 34,5%, para 60,5 mil reais, afirmou a empresa.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

Fonte: Exame

Mais notícias