Conectado por

Nacional

Gruta que desabou em Altinópolis (SP) não está na rota de turismo

A gruta que desmoronou na madrugada deste domingo (31) soterrando ao menos 10 bombeiros civis em Altinópolis (333 km de São Paulo) está fora do roteiro das agências de turismo local. Até agora, foram confirmados sete mortos, mas há dois desaparecidos (a décima pessoa foi resgatada com vida). Outras cinco pessoas também receberam atendimento médico. Embora haja recomendação para que essa gruta não seja utilizada devido às suas características, treinamentos são realizados por lá. “Essa caverna especificamente é de areia e o teto dela não é seguro para visitas. As equipes a utilizam para treinamento de resgate de caverna. O que eu fui informado é que esse grupo apenas a utilizou para fugir da chuva forte que atingia a cidade”, afirmou o bombeiro civil Bolívar Fundão Filho, 58, presidente da Busf-Brasil (Organização Bombeiros Unidos Sem Fronteiras).

Fundão Filho afirmou que as pessoas que estão soterradas integram a Busf-Brasil. “Eles já conheciam, mas nunca usamos para treinamento. É um local de difícil acesso e no meio do matagal”, diz. Daniela Magalhães, da Zéventura Ecoturismo, empresa que oferece passeios em pontos turísticos na cidade, afirma ser comum que alguns grupos passem a noite no local para realizar os treinamentos na região. “Ela [a gruta] é catalogada, porém não é um ponto turístico. É muito difícil de levar as pessoas lá e muitos guias nem a conhecem”, afirma. Em um vídeo postado em suas redes sociais, bombeiros retiram as pedras com as mãos.

Turismo
Privilegiada pela natureza, a cidade de Altinópolis tem com um de seus principais atrativos o ecoturismo.
Entre os pontos mais requisitados pelos visitantes estão as cachoeiras do Procópio, dos Macacos e de Itambém, além do morro da Mesa. As grutas do Padedão e de Itambém integram os roteiros das empresas que oferecem passeios por lá.

Fonte: O tempo

Mais notícias