Conectado por

Nacional

Dívida líquida: o que é e como calcular?

A dívida líquida é um importante indicador para verificar a alavancagem de uma empresa e entender sua saúde financeira.

Por isso, a avaliação da dívida líquida de uma empresa é muito importante quando se deseja avaliar um ativo de renda variável.

O que é Dívida Líquida?

A dívida líquida consiste nos compromissos financeiros (como financiamentos e empréstimos) diminuídos do caixa de uma empresa. Ou seja: consiste na quantidade de dinheiro que uma companhia precisa para quitar todas as suas dívidas.

Vale notar, no entanto, que podem ser usados caixa e equivalentes de caixa para esses cálculos. Equivalentes de caixa seriam aplicações financeiras de alta liquidez, como títulos públicos ou um CDB.

Sendo assim, esse conceito é muito importante para a realidade das empresas – e também no contexto das finanças pessoais, pois as pessoas também contraem dívidas.

Portanto, conhecer o que é dívida líquida e seu funcionamento em detalhes é importante para o investidor, seja na sua vida pessoal ou na sua escolha de alocação de capital.

Dessa forma, ele tomará melhores decisões financeiras. Isso é importante especialmente para o investidor iniciante, que ainda está aprendendo muitos conceitos do mercado de capitais.

Como funciona a Dívida Líquida?

Uma empresa pode adquirir obrigações financeiras (ou seja, aumentar o seu endividamento) quando decide crescer as suas operações ou quando precisa de capital de giro para suas atividades. 

Sendo assim, ela contrai uma dívida com um prazo de pagamento que consiga arcar, o que dá mais flexibilidade ao negócio, que terá capital disponível de imediato.

Sendo assim, se uma empresa está muito endividada, isso significa que ela possui muitas obrigações financeiras. Até um certo momento, isso pode ser bom para a empresa. 

Isso porque, para companhias (especialmente aquelas com capital aberto na bolsa valores e que são de maior porte), é possível conseguir empréstimos com taxas muito baixas, uma vez que as empresas são consideradas boas pagadoras.

Sendo assim, uma empresa pode ter até mesmo caixa o suficiente para quitar suas dívidas, mas não o faz. Isso ocorre porque vale mais a pena manter aquela dívida com taxas atrativas.

Qual é a Diferença entre Dívida Líquida e Dívida Bruta?

De fato, entender a diferença entre dívida bruta e dívida líquida é importante, pois esses conceitos têm muita relação.

Em primeiro lugar, a dívida líquida refere-se aos compromissos financeiros de uma empresa subtraindo-se o valor do caixa líquido.

Por outro lado, a dívida bruta diz respeito aos compromissos de uma empresa sem que haja subtração do valor em caixa. Essa métrica serve para avaliar a totalidade do valor que uma empresa deve.

Assim, se uma empresa tem dinheiro em caixa ou em algum ativo equivalente a caixa, como um CDB (seja prefixado ou pós-fixado), ela pode usar esse valor para abater a dívida.

Por exemplo: uma empresa possui R$ 80 milhões em dívidas, esse é seu valor de dívida bruta. Mas, se ela possui R$ 20 milhões em caixa, a dívida líquida é de R$ 60 milhões. 

É possível, ainda, que a empresa tenha caixa o suficiente para quitar todas as suas dívidas. Nesse caso, ele tem uma dívida líquida negativa.

Como funciona a Dívida Líquida/EBITDA?

Há, ainda, uma métrica muito importante para qualquer companhia: trata-se da dívida líquida/EBITDA, um múltiplo que verifica o endividamento de uma empresa.

Sendo assim, nesse cálculo, divide-se a dívida líquida pelo EBITDA, que é o lucro da empresa antes de se considerarem juros, taxas, depreciação e amortização. O cálculo considera o EBITDA dos últimos 12 meses. 

Essa métrica é, de fato, muito importante, pois representa a geração de caixa de uma empresa que pode ser usada para pagar as suas dívidas. Portanto, quanto maior for o valor, maior o endividamento da companhia.

Sendo assim, o ideal é que uma empresa possua um DL/EBITDA abaixo de 3. Mais do que isso, a empresa pode estar contraindo dívidas demais – no entanto, vale a pena analisar o motivo por trás do endividamento. 

Esse indicador é importante para que fundos de investimento decidam quais são as melhores oportunidades para alocar capital na bolsa de valores. 

Como analisar a Dívida Líquida de uma empresa?

Em primeiro lugar, é preciso saber que as informações sobre endividamento da empresa na bolsa de valores estão disponíveis em suas demonstrações financeiras. Para lê-las, basta ir no site de relacionamento com os investidores.

Entretanto, na hora de analisar a dívida líquida de uma empresa, é preciso considerar diversas variáveis, e não apenas olhar para o endividamento da empresa. 

Isso porque toda análise unidimensional acaba não vendo todos os detalhes da empresa. Uma companhia pode estar endividada, mas está crescendo a ritmo acelerado. 

Nesse caso, ela pode lidar bem com a dívida no longo prazo e crescer de forma exponencial, entregando uma boa valorização e distribuindo muitos dividendos.

Dessa forma, é possível não usar o endividamento como fator crucial para avaliar a companhia, o que pode gerar distorções. 

Você ainda tem alguma questão sobre a dívida líquida e como analisá-la da forma certa? Confira outros conteúdos como esse em nosso Guia de Investimentos, como:

O que é taxa Selic?
O que é IPCA acumulado?
O que é IOF?

Fonte: Exame

Mais notícias