Conectado por

Geral

Dia da Favela é marcado por protestos e eventos no Rio de Janeiro

Nesta quinta-feira é celebrado o Dia da Favela. O 4 de novembro marca a primeira vez em que a palavra apareceu em um documento público, no ano de 1900, quando o chefe da Polícia do Rio de Janeiro, Enéas Galvão, se referiu ao Morro da Providência como lugar onde moravam os favelados, como eram chamados os soldados que lutaram na Guerra de Canudos, na Bahia, e ficaram marcados pela planta favela, muito comum no sertão nordestino. A associação feita na época foi como um lugar sujo e de gente imoral.

O Morro da Providência, no centro do Rio de Janeiro, é considerado a primeira favela do Brasil. A Cufa, Central Única das Favelas, preparou eventos para marcar o dia 4 de novembro. Na escola El Salvador, em Piedade, zona norte do Rio de Janeiro, acontece uma homenagem ao sambista Arlindo Cruz com participação de Dudu Nobre. Na Zona Portuária, o  Museu de Arte do Rio, recebe a exposição dos vencedores de um concurso de grafite. O fundador da Cufa, Celso Athaíde, ressalta a importância de promover a valorização da cultura de favela.

A data também foi marcada por protestos, como o da Federação das Associações de Favelas do Estado do Rio de Janeiro, que promoveu, nesta quinta-feira, a Marcha das Favelas por Direitos. Entre várias demandas, o movimento comunitário reivindica o fim das chamadas troias, prática em que a polícia utiliza casas de moradores como base para tiros durante operações; a reabertura dos restaurantes populares; e a continuação e divulgação do plantão do Ministério Público para controle externo das operações após a pandemia de covid-19.

Geral Rio de Janeiro Dia da Favela: Cufa pede reflexão sobre potencial das comunidades 04/11/2021 – 17:29 Nádia Faggiani / GT Passos Tatiana Alves – Repórter da Rádio Nacional Dia da Favela quinta-feira, 4 Novembro, 2021 – 17:29 2:22

Fonte: Ag. Brasil

Mais notícias