Conectado por

DJ90

Geral

Covid-19: Brasil tem novo recorde, com 751 óbitos; negros são maioria dos mortos

Publicado por

em

Mais um dia que não se para de somar as mortes pelo novo coronavírus no Brasil. Dados divulgados pelo Ministério da Saúde, nesta sexta-feira, contabilizam mais 751 mortes pela Covid-19. Os valores representam quase sete vezes o massacre do Carandiru, que, em 1992, matou 111 detentos em São Paulo. O saldo das mortes agora é de 9.897 vítimas da doença.

O número de contaminados registrou sua segunda maior contagem, com 10.222 novos casos, que agora totaliza mais de 145 mil infectados no país.

São Paulo continua como o estado que perdeu mais vidas com a doença, com 3.416 mortos registrados pelo governo. O Rio de Janeiro vem em seguida, com 1503 mortos; Ceará, 966; Pernambuco, 927; e o Amazonas, 874 óbitos.

Os dados apresentados pelo Ministério da Saúde mostram que mais pessoas pardas e pretas morrem pelo coronavírus do que pessoas brancas. O número de pretos e pardos mortos é de 51,3%, ante 46,5% dos brancos. Mas as pessoas brancas são as que mais ingressaram nos hospitais pela Covid-19, com 54,8%, ante 43% de pretos e pardos hospitalizados.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, o secretário-substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, explicou como é feito o registro de óbito pelo coronavírus através Sistema de Informação sobre Mortalidade.

Eduardo Macário explica que mesmo que as informações cheguem em 15 dias, só é possível fechar os números de mortalidade no país no prazo de 12 meses, que é quando o Ministério consegue obter próximo de 100% de todos óbitos ocorridos no ano.

Fonte: Ag. Brasil