Conectado por

Nacional

Cosan anuncia entrada em mineração e parceria com dono da Aura

A Cosan (CSAN3) anunciou ao mercado nesta segunda-feira, 23 de agosto, a entrada no setor de mineração. O movimento inclui a apresentação de uma proposta vinculante para a aquisição de 100% do TUP São Luís, terminal portuário de uso privado na capital do Maranhão, por 720 milhões de reais, além da formação de uma joint venture para a exploração de minério de ferro.

Será a quinta vertical de negócios da Cosan, que já opera com a Raízen (RAIZ4, uma joint venture com a Shell no setor sucroalcooleiro, energético e de distribuição de combustíveis), com a Compass (gás e energia), a Moove (lubrificantes) e a Rumo (RAIL3, uma operadora logística com base ferroviária).

É mais um movimento ousado do empresário Rubens Ometto, fundador, acionista controlador e presidente do conselho da Cosan, um dos maiores grupos industriais do país, com cerca de 100 bilhões de reais em receitas anualizadas.

O anúncio revelou uma nova estratégia de investimentos por meio de uma estrutura de fundos, através da qual realizará aportes com recursos próprios e eventualmente de terceiros em novos negócios, conforme fato relevante divulgado depois do fechamento da bolsa.

A oferta pelo porto foi enviada pela Atlântico — controlada da Cosan — à São Luís Port Company, da chinesa CCCC, e aos acionistas minoritários que somam participação de 49% no terminal, disse a empresa.

O fechamento da operação está sujeito a condições precedentes, como aprovações regulatórias e concorrenciais, bem como a aprovações societárias da CCCC.

Além disso, a iniciativa ainda envolve a assinatura de um memorando de entendimento, também através da Atlântico, para a entrada na área de mineração por meio de uma joint venture com o Grupo Paulo Brito, controlador da Aura Minerals (AURA33), que irá explorar minério de ferro para escoamento pelo porto em questão.

O memorando prevê que a Atlântico deterá 37% do capital total e controle compartilhado da nova companhia — ou seja, 50% das ações ordinárias da empresa — após o aporte do porto e de caixa, afirmou a Cosan.

“A joint venture será uma empresa integrada de mineração e logística, que possuirá, além do porto, direitos de exploração de ativos minerários em três projetos minerais localizados no Estado do Pará, com potencial importante de reservas de minério de ferro, a serem escoados pelo porto”, detalhou a empresa.

O primeiro projeto mineral a ser explorado pela joint venture está localizado próximo a Parauapebas (PA), na região de Carajás, conectado ao porto pela estrada férrea de Carajás, e tem início de exploração previsto para 2025.

A nova companhia terá Juarez Saliba de Avelar, ex-Vale (VALE3) e CSN (CSNA3), como presidente-executivo, enquanto Julio Fontana será conselheiro e consultor sênior.

“A Cosan ingressa com um parceiro estratégico em um novo ramo de negócios, contribuindo sua expertise logística portuária e de gestão”, afirmou a empresa.

(Com a Reuters)

Fonte: Exame

Mais notícias