Conectado por

Nacional

Compre tintas agora porque preços vão subir, diz Akzo Nobel

Para: Tara Patel

A Akzo Nobel alertou que precisará de outro trimestre para que o aumento de preços aos clientes compense totalmente os custos crescentes e a escassez de matérias-primas essenciais que afetam a fabricante de tintas.

Os custos das matérias-primas aumentarão entre 260 milhões de euros (US$ 308 milhões) e 290 milhões de euros neste trimestre em relação ao ano anterior, com redução da receita de cerca de 100 milhões de euros devido a problemas de produção e lockdowns, disse o diretor-presidente da empresa, Thierry Vanlancker, em entrevista. A empresa holandesa projeta subir os preços em cerca de 9% neste trimestre, o dobro do aumento nos três meses anteriores.

A pandemia mostrou que a inovação será cada dia mais decisiva para seu negócio. Encurte caminhos, e vá direto ao ponto com o curso Inovação na Prática

“Se você quiser fazer alguma obra em casa, entre no carro e compre tinta agora mesmo”, disse Vanlancker. A escassez de matérias-primas “provavelmente persistirá no primeiro semestre de 2022”.

A Akzo Nobel é a terceira fabricante de tintas global a destacar esta semana que gargalos na cadeia de suprimentos têm afetado as vendas. A rival PPG Industries anulou a estimativa anual, enquanto a Sherwin-Williams reduziu a previsão de receita para o terceiro trimestre. Os alertas aumentam a preocupação de investidores sobre os custos crescentes de químicos, madeira e metais necessários para fabricar e embalar produtos industriais.

Embora o aumento de preços neste trimestre não seja suficiente para compensar os custos mais altos, a Akzo Nobel espera conseguir neutralizar essas despesas extras em breve.

“Ainda haverá uma lacuna no terceiro trimestre”, disse o diretor financeiro Maarten de Vries. “Achamos que seremos capazes de compensar o impacto das matérias-primas por meio dos preços no quarto trimestre.”

Retorno lento

Os preços das matérias-primas estão “significativamente altos”, e os gargalos persistem, disse Vanlancker. Em vez do alívio previsto neste trimestre, o retorno à estabilidade “será mais lento do que o esperado pela indústria de tintas e revestimentos”.

A Akzo Nobel não forneceu estimativas financeiras detalhadas para 2021. Vanlancker disse estar “bastante otimista” de que as metas de longo prazo de margens e lucro até 2023 serão alcançadas, especialmente em meio à forte demanda subjacente e preços mais altos dos produtos.

Fonte: Exame

Mais notícias