Conectado por

Nacional

Como funciona o tecovirimat, medicamento para casos de varíola dos macacos

O Ministério da Saúde anunciou nesta segunda-feira, 1º, que vai comprar o tecovirimat para os casos de varíola dos macacos (monkeypox).

Esse é um medicamento antiviral desenvolvido para o tratamento da varíola, ainda sem registro ou venda no Brasil. Ele interfere em uma proteína encontrada na superfície do vírus, o que diminui o ritmo de sua replicação. O resultado é a duração da infecção por um menor período de tempo. No primeiro momento, o remédio será apenas para os casos mais graves.

O que dizem as últimas pesquisas científicas mais importantes? Descubra ao assinar a EXAME, por menos de R$ 0,37/dia.

“Isso beneficia especialmente os grupos considerados mais vulneráveis, que têm mais chances de desenvolver formas graves da doença. Não há indicação para quem tem a doença localizada ou com poucas lesões pelo corpo”, explica Rodrigo Molina, médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI).

Já a assessoria técnica do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems-SP) considera que ainda há muitas incertezas sobre o uso do medicamento para o tratamento da varíola dos macacos, que foi aprovado pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) em caráter excepcional, no início do ano.

O conselho lembra ainda que, em documento de junho emitido pela Opas – braço da Organização Mundial da Saúde para a América Latina -, a orientação era de usar o antiviral em pesquisa clínica até que surjam evidências científicas consistentes.

Outros países usam tecovirimat?

O tecovirimat, fornecido pela farmacêutica Siga Technologies, obteve em julho o aval para ser utilizado no tratamento da doença no Reino Unido. Nos Estados Unidos, o uso é aprovado pela agência sanitária do país, a FDA, somente para tratar a varíola.

Com a alta de casos de monkeypox no país, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) americano tem mantido um protocolo de acesso expandido, em que um medicamento considerado promissor e ainda sem registro é administrado.

De acordo com o CDC, embora não haja dados sobre a eficácia do antiviral para tratar a varíola dos macacos em humanos, estudos realizados com animais apontam que o tecovirimat pode ter sucesso contra outras doenças causadas por vírus do gênero Orthopoxvirus. O órgão afirma também que os testes realizados em pessoas causaram poucos efeitos colaterais.

A Anvisa aprovou o tecovirimat?

O medicamento não possui registro ou pedido de avaliação para sua autorização pela Anvisa. A agência informou que, em casos emergenciais, insumos ainda sem registro podem ser importados para o enfrentamento da doença, desde que tenham sido aprovados em seu país de origem.

Nesse caso, a agência deve avaliar os requisitos necessários para a importação e as orientações para ações de monitoramento de eventos adversos decorrentes do uso do medicamento na população. Ainda não há informações sobre o preço do produto.

(Estadão Conteúdo)

LEIA TAMBÉM: 

Varíola dos macacos: governo divulga quando as vacinas devem chegar; confira datas

Varíola dos macacos coloca em risco imunossuprimidos, crianças, grávidas e idosos; entenda

Governadora de Nova York declara estado de emergência por varíola dos macacos

Fonte: Exame

Mais notícias