Conectado por



Nacional

Cartão Prato Cheio: como fazer o cadastro; tudo que você precisa saber


Compartilhe:

Publicado por

em

O governo do Distrito Federal possui algumas iniciativas que têm como objetivo garantir direitos básicos aos cidadãos de baixa renda e vulnerabilidade social. Um desses programas é o Prato Cheio, que atende mais de 100 mil famílias. 

Famílias com insegurança alimentar e nutricional podem solicitar o benefício e, neste texto, te explicamos o que é e como funciona o Cartão Prato Cheio, quais são os critérios para ter direito e demais informações para você se inteirar sobre o assunto

O que é o Cartão Prato Cheio?

O Cartão Prato Cheio faz parte de um programa criado pelo Distrito Federal que visa auxiliar famílias que estejam em situação de vulnerabilidade social, com foco na alimentação destas pessoas.

A ideia é que essas famílias tenham recursos básicos para comprar alimentos em estabelecimentos já credenciados no programa, como mercados, padarias e açougues. 

Como funciona o Cartão Prato Cheio?

O programa funciona como uma medida paliativa para a situação de vulnerabilidade exemplificada no tópico anterior, e por isso tem um período determinado para que o cidadão receba o valor creditado em seu cartão.

O prazo de duração do benefício do Cartão Prato Cheio é de nove meses, mas, dependendo da situação do beneficiário, caso perdure o estado de vulnerabilidade, pode ser prorrogado perante a uma nova consulta socioassistencial. 

Quem tem direito ao Cartão Prato Cheio?

Para que você possa participar do Cartão Prato Cheio, é necessário respeitar alguns requisitos, sendo eles: 

  • Possuir renda familiar igual ou inferior a meio salário mínimo por pessoa da família;
  • Estar em situação de insegurança alimentar;
  • Estar inscrito no CadÚnico para programas sociais do governo federal, Cadastro único ou Sistema Integrado de Desenvolvimento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SIDS);
  • Residir no Distrito Federal.

Como fazer o cadastro do Prato Cheio?

Para fazer o cadastro do Prato Cheio, saber se você tem direito ao programa, é preciso buscar uma unidade de referência de atendimento socioassistencial, como o CRAS, CREAS, Centro Pop e Unidades de Acolhimento. 

Durante o atendimento, será analisada a condição da família por meio da avaliação de um profissional, que determinará a situação de insegurança alimentar e nutricional, para que o benefício seja autorizado. 

Como fazer a consulta Prato Cheio?

Para consultar o benefício Prato Cheio, é simples. Veja o passo a passo: 

  1. Acesse o site https://gdfsocial.brb.com.br/#/home
  2. Na aba social do banco BRB, na coluna da direita, você verá a opção “Consulta Prato Cheio”. Clique nesta opção; 
  3. Insira o seu CPF, data de nascimento e clique em avançar; 
  4. O próprio sistema vai fazer a consulta se você é ou não um beneficiário; 
  5. Caso seja, todas as informações sobre o cartão e local de retirada estarão nesta página. 

Caso você tenha dificuldades em acessar o site e verificar o seu benefício Prato Cheio, também é possível entrar em contato com a Central de Atendimento pelo telefone (61) 3029 8440. 

Onde pode usar o Cartão Prato Cheio?

O Cartão Prato Cheio pode ser utilizado na maior parte dos estabelecimentos que trabalham comercializando alimentos, como supermercados, padarias, açougues e demais tipos de comércio

Vale lembrar que não é permitido a utilização do crédito do cartão para comprar bebida alcoólica, cigarro ou qualquer outro produto que não seja voltado para a alimentação. O descumprimento da regra pode acarretar na perda do benefício e no descredenciamento do estabelecimento que realizou a comercialização indevida. 

Em quanto tempo liberam o Cartão Prato Cheio?

O prazo para a liberação do Cartão Prato Cheio é incerto, pois o programa segue uma ordem de prioridade. O ideal é checar o processo no site do BRB, seguindo o passo a passo acima, para se informar sobre a data de retirada do cartão e liberação do saldo.

Qual é o valor do saldo do Cartão Prato Cheio?

O Cartão Prato Cheio tem um valor de nove parcelas de R$ 250,00 por mês. Quando esse período acabar, o responsável pela família precisa comparecer presencialmente no CRAS, Centro de Referência de Assistência Social, o mais próximo de sua residência. 

Por lá, o time de profissionais fará uma nova avaliação da família para entender se o benefício deve ou não ser continuado.

Fonte: Exame

Publicidade

Mais notícias

Compartilhe: