Conectado por

Nacional

Cápsula do tempo encontrada em estátua nos EUA revela segredos

A estátua de bronze do General Robert E. Lee, que comandou o Exército da Virgínia do Norte durante a Guerra Civil, foi removida em setembro de Richmond, cidade que foi capital do Sul durante o conflito sangrento ocorrido entre 1861 e 1865. Inaugurada em 1890, a estátua equestre de Lee está entre as centenas de monumentos confederados considerados racistas nos Estados Unidos.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

Assim que a estátua foi removida, trabalhadores começaram a procurar no pedestal de granito de 12 metros uma cápsula do tempo que acredita-se ter sido escondida em sua base em 1887. Ela foi encontrada na semana passada, quando o pedestal foi desmontado, e levada para o Departamento de Recursos Históricos de Richmond.

O governador da Virgínia, Ralph Northam, abriu hoje o pequeno cofre, do tamanho de uma caixa de sapato. Um artigo de jornal de 1887 indicava que a cápsula continha relíquias da Guerra Civil, como a moeda confederada, mapas, uma bíblia e uma foto do presidente Abraham Lincoln, entre outros elementos.

A caixa também continha três livros, um envelope lacrado com uma fotografia e uma moeda de origem desconhecida. Os livros, o envelope e a foto foram afetados pela água que vazou no cofre.

Um dos livros é o “American Ephemeris and Nautical Almanac” de 1875, um guia para astrônomos, sobreviventes e navegadores. Outro parece ser um livro publicado em 1889, dois anos depois que o fechamento da cápsula do tempo foi anunciado, o que leva a especulações de que poderia haver outra cápsula do tempo escondida no pedestal.

Fonte: Exame

Mais notícias