Conectado por

Nacional

Bússola Líderes: “Compromisso com a saúde é de todos”, diz CEO da MSD

“Os desafios devem ser trabalhados em conjunto: o governo, a indústria farmacêutica e os profissionais da área da saúde. Precisa ser um compromisso de todos”. Com essa declaração, o CEO da MSD (Merck nos Estados Unidos), Hugo Nisenbom, fala, em entrevista ao Bússola Líderes, o canal de entrevistas em vídeo com grandes lideranças empresariais do Brasil, conduzido por Alon Feuerwerker, como a companhia prioriza e investe em pesquisa que tragam soluções para a saúde da população. Trata também dos programas de desenvolvimento social que marcam o compromisso da empresa.

A MSD é uma empresa farmacêutica, líder em inovação, que investe R$ 10 bilhões por ano em pesquisa, o que corresponde a 10% do faturamento do setor na área. Pensando nisso, a companhia investiu no desenvolvimento científico durante a pandemia de covid-19, mirando em duas direções: vacinas e antivirais, sem perder a capacidade de se desenvolver em outros segmentos.

O programa da MSD na área de oncologia é um dos maiores no mundo, incluindo o medicamento que deve ser considerado uma revolução, segundo o CEO, permitindo que o organismo se defenda da doença. Também na direção das vacinas, a companhia, junto ao Instituto Butantan, desenvolve vacinas para a dengue, entre outras doenças.

“O Brasil tem profissionais de altíssima qualidade e instituições que são líderes na América Latina. O país tem um sistema de saúde e vacinação que é um dos melhores que já vi na América Latina. Acho que ainda há oportunidades para dar acesso a muitos pacientes, especialmente através do SUS, com inovação. É um grande desafio que deve ser trabalhado em conjunto: o governo, indústria farmacêutica e profissionais da área da saúde. Precisa ser um compromisso de todos”, afirma Hugo.

O CEO também fala da importância de se vacinar contra outros casos para evitar que doenças erradicadas retornem, como o sarampo, por exemplo. Com a pandemia de covid-19, a vacinação para outros quadros caiu, e é imprescindível o cuidado com o assunto.

Pensando no impacto que a pandemia pode causar nos colaboradores e atividades da empresa, a MSD criou o programa Viva Melhor.

“Com a pandemia, a empresa criou o programa, que estabelece limites, em que reuniões não iniciam antes de 9h nem depois de 17h, com limite de 45 minutos.  Além disso, na quarta-feira é sem reunião e, na sexta-feira, o expediente acaba às 15h. Também investimos em questões de saúde mental e comunicação para entender os colaboradores. Trabalhamos com os gestores para eles serem empáticos”, declara Nisenbom.

Para manter as equipes integradas, o Comitê de Liderança coordena para que se tenha um objetivo comum, criando soluções inovadoras, e compreendendo que o erro faz parte do processo de aprendizagem.

Pensando em diversidade, a MSD criou grupos de conscientização. “A empresa está comprometida com ações de diversidade. Existe um programa de maternidade, que se estende para o período de lactação, e, também, a licença paternidade, seja qual for o formato de casal”, diz o CEO.

No campo do desenvolvimento social, a companhia criou o MSD Para+, junto ao Hospital Albert Einstein, com o preparo de profissionais para lidar com situações que evitem a mortalidade materna. “O programa conseguiu diminuir a mortalidade materna em 54%”, afirma Hugo.

Confira o bate-papo completo com Hugo Nisenbom, no YouTube. O Bússola Líderes é sempre publicado no canal do YouTube e na Bússola/Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Fonte: Exame

Mais notícias