Conectado por

DJ90

Nacional

Buscas no Google por iFood, PicPay e MadeiraMadeira disparam na quarentena

Publicado por

em

O novo coronavírus forçou a sociedade a se adaptar a um novo normal. Nova pesquisa feita pelo Google for Startups mostra que, durante o processo de adaptação, as pessoas mudaram a forma de se alimentar, criaram novas formas de lazer e procuraram por auxílios financeiros. Parte dessa demanda foi captada por startups que atuam no Brasil, como iFood, MadeiraMadeira e PicPay. 

“O objetivo da pesquisa era entender, a luz dos novos comportamentos dos consumidores, como o interesse na busca do Google por determinadas startups se comportou”, diz André Barrence, diretor do Google for Startups na América Latina.

A pesquisa usou a base de dados do CB Insights, que tem mais de 2.000 startups, para fazer a análise. Desse total, o grupo foi reduzido a cerca de 350 empresas atuantes no Brasil. O corte final foi feito a partir do que o Google considera ser um volume relevante de buscas sobre cada marca.

Delivery entrou na rotina

A pandemia afetou, logo de cara, a forma com que muitos brasileiros comem. Uma pesquisa anterior, realizada pelo Google com consumidores, mostrou que 38% das pessoas mudaram sua rotina de preparo de refeições por causa da covid-19. O delivery também se tornou mais frequente para 30% dos entrevistados.

Essas mudanças de hábito se refletiram nas pesquisas feitas no buscador da empresa. O número de buscas relacionadas ao setor de comida e bebida subiu entre 30% e 45% entre março e abril de 2020 em comparação com o mesmo período do ano anterior. No delivery, as buscas aumentaram 72% depois do começo da pandemia. 

<span class=”hidden”>–</span>Google for Startups/Divulgação

Nesse segmento, a startup com o maior volume de buscas é o iFood, seguida pela Rappi, Loggi e LivUp. Essas empresas se enquadram no que a pesquisa chama de “startups sustentáveis”, que mantiveram um crescimento constante de pelo menos 30% no volume de pesquisas entre março e abril de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019.

Já startups menores, como Empório da Cerveja, Zé Delivery e Melhor Envio, registraram crescimento acima da média, de pelo menos duas vezes mais que no mesmo período do ano passado ou de mais de 100% na comparação ano a ano. A Zé Delivery, startup criada em um projeto de inovação da Ambev, por exemplo, cresceu 10 vezes em março e abril de 2020.

Conforto e auto-estima

<span class=”hidden”>–</span>Google for Startups/Divulgação

Desde que o período de isolamento social começou, as pessoas buscaram mais palavras como “mesa”, “cadeira”, “roupa” e “kit de maquiagem” no buscador do Google, o que indica um desejo por se manter confortável em casa durante a quarentena. As pesquisas por móveis para home office, especificamente, cresceram mais de 90% na comparação entre março e abril de 2019 e 2020. 

As startups que mais se beneficiaram desse interesse por móveis nas buscas foram MadeiraMadeira e Mobly, ambas de crescimento sustentável. Na comparação entre março e abril de 2019 com 2020, o volume de buscas das marcas cresceu, respectivamente, 70% e 52%. “A gente entende que, de forma geral, que esses produtos deixaram de ser desejo e passaram a ser necessidade do consumidor”, afirma Barrence. 

No segmento de beleza, a empresa Beleza na Web, de venda de cosméticos, registrou um crescimento significativo no volume de buscas, com mais de 50% de alta. Outra startup que se destacou foi a Petlove, que vende produtos para animais domésticos online. O número de pesquisas sobre a marca aumentou 47% em março e abril de 2020 na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Novas necessidades 

As pessoas também estão buscando novas formas de aprender em casa. As buscas relacionadas a “cursos online gratuitos com certificado grátis para imprimir” subiram 120% nos últimos 12 meses. Pesquisas por cursos de idioma, programas online de ensino e software educacionais subiram cerca de 45%. 

<span class=”hidden”>–</span>Google for Startups/Divulgação

A startup mineira Hotmart, que oferece uma plataforma para ensino à distância, teve aumento de 322% em suas buscas. A Stoodi, que oferece preparação para o Enem, também teve alta significativa no período (230%), especialmente nos dias em que liberou o acesso a sua plataforma gratuitamente. Na categoria, somente a startup Sanar, plataforma de conteúdo para médicos e estudantes de medicina, foi classificada na categoria de crescimento sustentável, com alta de mais de 100%.  

André Barrence destaca que no segmento de ensino de idiomas, apesar do alto volume de buscas, nenhuma empresa se destacou. “Não encontramos nenhuma startup ocupando esse espaço, pode ser uma oportunidade para empreendedores explorarem”, diz o diretor do Google for Startups. 

<span class=”hidden”>–</span>Google for Startups/Divulgação

A crise causada pela pandemia também provocou um maior número de buscas por auxílio financeiro. Buscas por “conta digital” e “empréstimo consignado” cresceram dez vezes em abril de 2020. Nesse setor, startups como PicPay, Husky e Olivia dominaram o volume de buscas no período. O PicPay, que tem patrocinado lives de artistas, teve salto de 555% no número de pesquisas em março e abril deste ano. 

Para as empresas, alta no número de buscas durante a crise pode ser uma oportunidade de ganhar novos clientes recorrentes. “É mais barato manter o usuário cliente do que adquirir”, afirma o diretor do Google for Startups. Para Berrance, o principal desafio das startups será conseguir manter o crescimento no reconhecimento da marca pelos próximos meses.

Fonte: Exame