Conectado por

DJ90

Geral

Abertura das praias fica fora da nova etapa de flexibilização no Rio

Publicado por

em

A cidade do Rio de Janeiro anunciou novo avanço nas medidas de flexibilização das atividades. Um dos pontos mais aguardados por boa parte da população, no entanto, ficou para depois.

 

De acordo com anúncio feito nesta quinta-feira (9), o prefeito Marcelo Crivella vai manter a proibição de banhistas na areia das praias enquanto não houver uma vacina para o novo coronavírus, ou até o risco de contaminação pelo novo coronavírus estiver próximo de zero.

 

A decisão é motivada pelo fato de não ser possível usar a máscara de proteção durante o banho de sol ou de mar.

 

Com isso, continuam liberadas apenas a prática de exercícios nos calçadões e de esportes individuais no mar, como surf e natação.

Durante uma coletiva de imprensa, Crivella  alertou que o desrespeito à proibição será punido com multa e o infrator poderá até responder criminalmente.

 

Apesar da restrição, o prefeito avalia de forma positiva a evolução da pandemia no Rio. Segundo ele, a curva de contagem está diminuindo, mas ainda não é hora de baixar a guarda.

 

A prefeitura também manteve a proibição de público nos estádios de futebol. No entanto, anunciou novidade no funcionamento dos shoppings, que terão horário estendido já a partir desta sexta-feira, passando a funcionar do meio-dia às 22h – duas horas a mais. Também as lojas de rua poderão ampliar o horário de atendimento.

 

As casas lotéricas poderão funcionar entre 8h da manhã e 6h da tarde. As feiras de arte e artesanato também estão permitidas.

 

Hotéis e albergues continuam autorizados a funcionar, com os devidos cuidados de proteção aos clientes. Os pontos turísticos municipais permanecem fechados, mesmo após terem sua abertura autorizada pelo governo estadual.

 

No comércio, permanece o controle de acesso dos consumidores, assim como as exigências de distanciamento social e uso de máscaras. Os ambulantes legalizados continuam autorizados a trabalhar, com exceção para os que atuam em pontos fixos ou de maneira itinerante nas praias.

 

Crivella ressaltou que as decisões de flexibilização se baseiam em indicadores científicos, que apontam velocidade de contágio, ocupação de leitos de enfermaria e UTI para Covid-19, número de óbitos na cidade e  casos de síndrome gripal, que vêm diminuindo, apesar do início do inverno.

Fonte: Ag. Brasil