Conectado por

Nacional

5G em BH: antenas parabólicas devem ser trocadas ou removidas em até 18 meses

A migração para rede 5G, que começou nesta sexta-feira (29) em Belo Horizonte, implica necessidade de troca ou instalação de filtros em antenas parabólicas. Na capital mineira, 2,7 mil kits gratuitos devem ser distribuídos a famílias de baixa renda para a mudança, mas ainda será necessário que quem não receba faça o procedimento.

As parabólicas operam na mesma frequência que as novas redes, o que poderá causar interferências no sinal e prejudicar a instalação. No Brasil, é estimado que 20 milhões de famílias precisarão realizar a troca. Metade precisará pagar do próprio bolso.

A troca das parabólicas deve ocorrer nos próximos 18 meses, quando a frequência atualmente captada será extinta. As operadoras Claro, Tim e Vivo são responsáveis pela Empresa Administradora da Faixa (EAF), que fará a “limpeza” do sinal para o 5G.

A medida vale para as antenas convencionais, que captam sinal de televisão aberta. Antenas digitais e de televisão por assinatura não precisam ser mudadas. Detalhes sobre a troca e gratuidade podem ser conferidos neste link.

5G em Belo Horizonte

O sinal de 5G foi liberado em Belo Horizonte nesta sexta-feira e promete uma navegação até 20 vezes mais rápida para os celulares compatíveis nos bairros que têm cobertura. A nova rede, porém, chega em um cenário de déficit de 4G e 3G na capital, de acordo com um levantamento da Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel).

A pesquisa mensura quantas antenas de transmissão de rede existem na capital. Apenas a região Centro-Sul, que concentra alguns dos bairros de maior renda da cidade, tem uma cobertura considerada ideal. Em meio à chegada do 5G em parcelas da cidade, moradores de parte do bairro Taquaril, por exemplo, na região Leste de BH, ainda têm dificuldade para acessar o sinal de 4G. 

Fonte: O tempo

Mais notícias