Conectado por



Nacional

Nível do Guaíba pode superar marca histórica e chegar a 5,50 metros, aponta UFRGS


Compartilhe:

Publicado por

em

O nível do Guaíba pode ultrapassar a marca histórica registrada no último dia 5 e chegar a 5,5 metros entre segunda (13) e terça-feira (14), de acordo com projeção elaborada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O lago teve leve alta neste domingo e atingiu 4,64 metros no Cais Mauá, na capital Porto Alegre.

Segundo a UFGRS, a principal preocupação do momento é a nova elevação de níveis em função das chuvas e do efeito do vento. Todos os cenários previstos pelo Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) para a próxima semana apontam para uma cheia duradoura do Guaíba, e repique com nova elevação dos níveis para acima dos 5 metros.

A depender da ocorrência das chuvas previstas para as próximas horas e do vento sul, o Guaíba pode superar a marca histórica de 5,33 metros, registrada no dia 5, há uma semana, e alcançar os 5,50 metros.

Durante a semana, após atingir o pico do dia 5, o lago apresentou recessão lenta na quarta-feira (8) até atingir 4,56 metros no sábado (11), o menor nível desde o início da enchente, que superou o recorde da cheia histórica de 1941.

Na noite de sábado (11), após um dia de chuvas intensas, o nível do lago voltou a subir. Às 14h45 deste domingo, registrou a marca de 4,65 metros, de acordo com o Centro Integrado de Coordenação de Serviços (CEIC).

Por conta das chuvas também ocorreu uma precipitação expressiva, de 100 milímetros ou mais, em regiões das bacias do Taquari, Sinos, Caí e Jacuí. O nível do rio Taquari se aproxima dos 24 metros, e as previsões para o Caí apontam que o rio vai ultrapassar os 16 metros.

Porto Alegre tem o início de maio mais chuvoso em 63 anos, desde 1961, segundo a Climatempo Meteorologia. De 1º de maio até as 9h deste domingo (12), a estação meteorológica do Jardim Botânico, na Zona Norte da Capital, registrou 306,5 mm de acumulado. Isto é quase o triplo da média, que é de 113 mm.

Com sete mortes confirmadas na manhã de domingo (12), o Rio Grande do Sul chegou a 143 vítimas dos temporais e cheias que atingem o estado desde o final de abril. O boletim da Defesa Civil ainda contabilizava 131 desaparecidos e 806 feridos (50 a mais do que no dia anterior).

Com a volta da chuva no estado, o número de pessoas fora de suas casas aumentou de cerca de 441 mil, registrado no sábado (11), para mais de 618 mil. Mais de 81 mil estão em abrigos e 537 mil estão desalojados (em casa de amigos e parentes).

*Com informações do G1

Publicidade

Mais notícias

Compartilhe: